Mediação na escrita inventada de palavras compostas por sílabas CCV/CVC por crianças que apresentam hipóteses silábico-alfabética e alfabética


     

Pesquisa ‚ÄĘ Quinta-feira, 20 de Maio de 2021, 12:26:00

 
Título: A mediação na escrita inventada de palavras compostas por sílabas CCV e CVC por crianças que apresentam hipóteses silábico-alfabética e alfabética.
 
Coordenadora: Valéria Barbosa de Resende
 
Resumo:¬†A pesquisa identifica e analisa as estrat√©gias grafofon√™micas usadas pelas crian√ßas de 6 anos, que se encontram nas hip√≥teses sil√°bico-alfab√©tica e alfab√©tica, para escreverem palavras com estruturas sil√°bicas CVC e CCV, a partir da intera√ß√£o com adultos em um programa de escrita inventada. Estudos indicam que palavras com estruturas sil√°bicas mais complexas s√£o apropriadas mais tardiamente pelas crian√ßas, uma vez que, no processo inicial de aprendizagem da l√≠ngua escrita, as crian√ßas compreendem o princ√≠pio alfab√©tico basicamente pela s√≠laba can√īnica do portugu√™s (CV). A metodologia adotada se inspira no ‚ÄúPrograma de Escrita Inventada‚ÄĚ desenvolvida pioneiramente por Margarida Alves Martins (ISPA/Lisboa/Portugal). Nesses estudos experimentais, o foco principal √© analisar os efeitos do programa e as media√ß√Ķes efetuadas pelos adultos durante as atividades de escrita inventada. Participaram da pesquisa 16 crian√ßas, que se encontravam na fase de fonetiza√ß√£o da escrita e foram organizadas da seguinte forma: tr√™s grupos compostos por crian√ßas com idade de 6 anos, sendo 8 meninas e 4 meninos que frequentavam o 1¬ļ ano do Ensino Fundamental, e um grupo composto por 4 meninas que frequentavam o 2¬ļ ano do Ensino Fundamental, com idade de 7 anos. As crian√ßas frequentavam a mesma escola da rede p√ļblica estadual da cidade de Belo Horizonte. Pretende-se investigar se as media√ß√Ķes favoreceram a an√°lise metalingu√≠sticas das crian√ßas no que diz respeito √† escrita de palavras compostas por s√≠labas n√£o can√īnicas.¬†
 
Essa pesquisa enquadra-se nas investiga√ß√Ķes desenvolvidas pelo Grupo de Pesquisa em Alfabetiza√ß√£o (GPA/CEALE/UFMG) em parceria com a profa. Margarida Alves Martins do Instituto Universit√°rio de Ci√™ncias Psicol√≥gicas, Sociais e da Vida (ISPA) Lisboa, Portugal.¬†