A escrita na Educação Infantil


     

Letra A ‚ÄĘ Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014, 15:19:00

Por Clara Tannure

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educa√ß√£o Infantil definem curr√≠culo como sendo "o conjunto de pr√°ticas que buscam articular as experi√™ncias e os saberes das crian√ßas com os conhecimentos que fazem parte do patrim√īnio cultural, art√≠stico, ambiental, cient√≠fico e tecnol√≥gico, de modo a promover o desenvolvimento integral de crian√ßas de 0 a 5 anos de idade". Esse conjunto de pr√°ticas deve ser capaz de provocar, nas crian√ßas, o desejo de saber mais e deve dar a elas as condi√ß√Ķes materiais e intelectuais para realizar suas investiga√ß√Ķes em √°reas de seu interesse.

Assim, as crian√ßas s√£o estimuladas a aprender sobre o sistema de escrita porque necessitam, por exemplo, registrar uma informa√ß√£o que julgaram muito importante para o que est√£o estudando, ou para ler algo que lhes ajudar√° a conhecer mais sobre determinado assunto. Nessa perspectiva, n√£o faz sentido, por exemplo, treinar as crian√ßas para decorar o nome das letras. ‚ÄúAs letras n√£o devem ser trabalhadas separadamente nessa fase, como um conjunto de s√≠mbolos, mas sim onde elas est√£o vivas. As letras separadas para uma crian√ßa n√£o t√™m muito sentido. Elas t√™m vida nos textos, nas palavras‚ÄĚ, afirma Denise Lopes.

Evangely Maria Oliveira, coordenadora da UMEI Ala√≠de Lisboa, na UFMG, conta como a linguagem escrita √© trabalhada ali, corroborando a ideia de partir de algo em que a letra tem vida: ‚ÄúO primeiro contato que o aluno da Educa√ß√£o Infantil tem com as letras √© a partir de seu nome, que √© o elemento principal que vai desencadear o reconhecimento das letras, porque a partir da√≠ come√ßam a surgir compara√ß√Ķes entre os nomes deles com nomes dos colegas, das professoras, das hist√≥rias que s√£o contadas para eles, e assim por diante‚ÄĚ.

Ainda que para muitos a alfabetiza√ß√£o formal aconte√ßa no Ensino Fundamental, de acordo com o professor Levindo Diniz, esse processo se inicia bem antes. ‚ÄúA gente vive na Educa√ß√£o Infantil hoje uma tens√£o permanente da necessidade do investimento de tempo nas atividades de leitura e de escrita‚ÄĚ, afirma. Atento a esse ponto, Levindo Diniz defende que as linguagens n√£o podem ser trabalhadas apenas como um suporte para desenvolvimento da leitura e escrita. ‚ÄúMuitas vezes essas outras linguagens est√£o sendo colocadas a servi√ßo exclusivo do processo de leitura e de escrita‚ÄĚ, conta.


Continue lendo

Lugar de estímulos e experiências - Parte 1

Lugar de estímulos e experiências - Parte 2

Novas tecnologias, novas possibilidades