A poesia encontra a m√ļsica

Educadora apresenta possibilidades de integrar as linguagens poética e musical


     

Letra A ‚ÄĘ Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2015, 14:43:00

Por Manuela Peixoto

Assim como a m√ļsica √© a arte de combinar os sons, a literatura √© a arte de combinar palavras. O resultado? A poesia. Essa √© a filosofia espalhada pela professora e autora de livros infantis Neusa Sorrenti, que realiza oficinas para educadores relacionadas √† leitura e a temas pertinentes ao mundo liter√°rio, especialmente a sensibiliza√ß√£o, a musicaliza√ß√£o e a escrita de poemas.

Em sua oficina Poesia e Cantoria: toda hora, todo dia, que integrou o VI Col√≥quio Projeto de Ensino e Extens√£o Mala de Leitura da UFMG, Neusa ensinou formas criativas para¬† se trabalhar a poesia em sala de aula. Para ela, um dos m√©todos mais divertidos √© a musicaliza√ß√£o dos poemas. ‚ÄúO verso mais f√°cil de ser musicado √© aquele que tem sete s√≠labas po√©ticas. A partir disso, o professor deve escolher uma melodia, como a de ‚ÄėTerezinha de Jesus‚Äô ou ‚ÄėCiranda Cirandinha‚Äô, e fazer a combina√ß√£o‚ÄĚ, explica. Para acompanhar a cantoria, Neusa ensina a fazer instrumentos a partir de sucata e gr√£os. Ela aproveita garrafas pl√°sticas e embalagens de achocolatado para improvisar na percuss√£o.

Al√©m de musicar os poemas, o professor pode pedir aos alunos que os recontem em forma de par√°frase ou par√≥dia, ou que criem uma pe√ßa de teatro ou sarau a partir do que entenderam. Para ela, √© muito importante que o aluno leia o poema com vontade, sem pressa e, sempre que poss√≠vel, que cante, desenhe ou dramatize sobre o que leu. ‚ÄúTanto a poesia quanto a m√ļsica precisam estar presentes na escola, mas de forma l√ļdica e profunda, e n√£o s√≥ na hora da farra‚ÄĚ, enfatiza. Neusa ainda destaca que trabalhar leitura e m√ļsica n√£o deve ser limitado ao professor de Portugu√™s. ‚ÄúA literatura abre portas para a interdisciplinaridade; √© s√≥ o professor ter disposi√ß√£o em aprender e n√£o ter vergonha de se expor‚ÄĚ.