Classificados | JLA 51

Haicai e m√ļsica na sala de aula


     

Letra A ‚ÄĘ Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2018, 15:02:00

 
Os versinhos que encantam 
Os alunos que se apaixonaram pela poesia através do Haicai 
 
Por Teresa Cristina
 
‚ÄúHai‚ÄĚ √© brincadeira, gracejo e ‚Äúkai‚ÄĚ √© harmonia e realiza√ß√£o: em portugu√™s, ‚ÄėHaicai‚Äô. Essa poesia concisa, divertida, leve, bonita e de origem japonesa tem leitura r√°pida, mas efeito duradouro. Pode encantar da crian√ßa ao idoso e trazer, em tr√™s versos, emo√ß√Ķes diversas. Foi usando essa poesia de linguagem simples que a professora Renata Guimar√£es iniciou um projeto em 2017 com os alunos do 1¬ļ ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Sarah Kubitschek, em Belo Horizonte (MG).
 
Primeiro, ela come√ßou a trabalhar a poesia com as crian√ßas e logo observou o interesse dos alunos pela produ√ß√£o de poemas: ‚ÄúComecei a trabalhar a poesia com eles com o pr√≥prio livro did√°tico de portugu√™s (...) a√≠ eles come√ßaram a se interessar por rimas e traziam rimas para mim quase todos os dias‚ÄĚ. Renata viu, ent√£o, uma oportunidade de ir al√©m, trabalhando com o Haicai, que, por serem versos simples e interessantes, pr√≥ximos da linguagem das crian√ßas, poderiam despertar o interesse delas mais rapidamente.¬†
 
A professora trouxe, para a sala de aula, o livro de Haicais infantil ‚ÄėTr√™s Gotas de Poesia‚Äô, da autora mineira √āngela Leite de Souza. As crian√ßas, segundo ela, se interessaram tanto que come√ßaram a decorar as poesias sem que ela pedisse. Ap√≥s essas leituras, ela come√ßou a incentivar os alunos a escreverem seus pr√≥prios Haicais e, coletivamente, escolheram temas e escreveram alguns. Os Haicais escritos resultaram em um livro: as pr√≥prias crian√ßas ilustraram seus poemas com materiais recicl√°veis, entre outros. Al√©m da escrita do Haicai, Renata auxiliou as crian√ßas a escreverem autobiografias: ‚ÄúN√≥s pesquisamos tamb√©m sobre a vida da √āngela, a biografia dela. A√≠, eles tamb√©m fizeram uma biografia deles mesmos, cada um fez a sua, falando o que gostava, por exemplo‚ÄĚ.¬†
 
A recep√ß√£o do projeto foi expressiva: ‚Äúeles amaram o projeto, tivemos o retorno da fam√≠lia tamb√©m; crian√ßas que queriam ser autoras, escrever um livro ou que j√° tinham at√© escrito o primeiro livro‚ÄĚ, conta Renata. O resultado, assim, foi o despertar do interesse pela leitura, escrita e o gosto pela poesia.¬†
 
 
M√ļsica na escola
Projeto de Londrina trabalha a m√ļsica cantada com crian√ßas de escolas municipais
 
Por Bruno E. Campoi
 
A partir do desejo de levar a Educa√ß√£o Musical, atrav√©s da voz, para crian√ßas de escolas municipais de sua cidade, a professora de m√ļsica Oleide Lelis, de Londrina (PR), criou o projeto ‚ÄúEduca√ß√£o Musical Atrav√©s do Canto Coral ‚Äď Um Canto em Cada Canto‚ÄĚ, do qual atualmente √© coordenadora. Hoje, com 17 anos de exist√™ncia, o projeto superou suas ambi√ß√Ķes iniciais e continua superando desafios ao atender 16 escolas da cidade, tornando-se parte importante da vida dos alunos e da comunidade. Isso √© percebido na fala de sua idealizadora, que aponta que j√° passaram pela iniciativa mais de dez mil crian√ßas, dentre elas at√© um aluno do projeto, que hoje se tornou um monitor.
 
Com ensaios de uma hora e meia que acontecem uma vez por semana em cada escola, na maioria dos casos, durante o hor√°rio de aulas, o projeto ensina a alunos do 3¬ļ, 4¬ļ e 5¬ļ anos do Ensino Fundamental n√£o s√≥ quest√Ķes musicais, como tamb√©m relativas √† concentra√ß√£o, aten√ß√£o, responsabilidade, autoestima, dentre muitas outras. Para isso, Oleide conta que foi formada uma equipe de dez monitores ‚Äúescolhidos a dedo‚ÄĚ, sendo que um dos principais requisitos para a escolha foi o de que eles acreditassem que poderiam mudar a vida das crian√ßas por meio do trabalho desenvolvido.
 
Esses professores se revezam entre as diversas escolas que participam do projeto e, al√©m de transmitir conhecimentos musicais, tamb√©m desenvolvem atividades din√Ęmicas e l√ļdicas para que as crian√ßas consigam manter o foco. Em sua metodologia s√£o usadas, por exemplo, recompensas, como o ‚Äúcart√£o de campe√£o‚ÄĚ, que √© dado √†s crian√ßas que conseguiram superar as expectativas. O planejamento das aulas √© feito em uma reuni√£o semanal na qual todas as professoras e professores do grupo se re√ļnem para discutir o que far√£o e avaliar o resultado daquilo que foi anteriormente proposto para as escolas.
 
De acordo com Oleide, o principal objetivo √© fazer m√ļsica na escola por meio da voz, por essa ser a forma mais barata e eficaz encontrada para atingir um n√ļmero maior de crian√ßas com menos recursos. O projeto consegue se manter principalmente gra√ßas ao Programa Municipal de Incentivo √† Cultura de Londrina e por um conv√™nio com a Secretaria Municipal de Educa√ß√£o. Mesmo com os recursos disponibilizados, ainda precisam ser feitas a√ß√Ķes, como jantares, para complementar a renda e continuar levando m√ļsica √†s crian√ßas.¬†
 
O √ļnico crit√©rio para que as crian√ßas das escolas participantes do projeto possam cantar √© que elas queiram. N√£o h√° nenhum tipo de distin√ß√£o, j√° que as m√ļsicas s√£o escolhidas de forma que qualquer uma possa cantar. Apesar disso, Oleide deixa claro que o repert√≥rio √© escolhido sem nunca deixar de pensar no desafio. Dentre as m√ļsicas escolhidas, est√£o muitas de outros pa√≠ses e nas mais variadas l√≠nguas, a exemplo de uma m√ļsica em hebraico chamada ‚ÄėHineiMaTov‚Äô. Assim, com m√ļsicas cantadas em un√≠ssono, duas vozes ou c√Ęnone, as habilidades de racioc√≠nio tamb√©m s√£o fortalecidas.
 
Dentre os muitos benef√≠cios do contato com a m√ļsica, destaca-se a contribui√ß√£o para o desenvolvimento dos potenciais psicomotor, cognitivo e emocional das crian√ßas. Assim, Oleide afirma que o projeto n√£o trata simplesmente de ‚Äúcantar por cantar, a gente trabalha muito a autoestima da crian√ßa, a responsabilidade, a aten√ß√£o... coisas para a vida dela‚ÄĚ, defende.
 
Tudo o que √© aprendido n√£o fica s√≥ dentro da sala de aula, j√° que, durante o ano, s√£o feitas apresenta√ß√Ķes. A primeira acontece no fim do primeiro semestre, sendo realizado um concerto dentro da pr√≥pria escola. No fim do ano, √© realizado o fechamento, no qual as escolas participantes, que trabalham o mesmo repert√≥rio, apresentam as m√ļsicas aprendidas, em um espa√ßo mais amplo, localizado no centro da cidade.