Foco no livro did√°tico

Discuss√£o sobre os materiais usados em sala de aula inaugura as mesas redondas do II SIHELE


     

Acontece ‚ÄĘ Quarta-feira, 24 de Julho de 2013, 14:36:00

O que √© livro did√°tico? Essa foi a pergunta que deu a linha para a mesa ‚ÄúLivro Did√°tico como Fonte e Objeto de Pesquisa em Hist√≥ria do Ensino de Leitura e Escrita‚ÄĚ, na primeira mesa do II SIHELE, realizada na tarde de quinta-feira (11). Circe Bittencourt, pesquisadora da PUC-SP, explicou que o conceito √© socialmente constru√≠do no tempo e no espa√ßo. Para ela, ‚ÄúO livro did√°tico √© um impresso produzido para a escola. O livro did√°tico √© produzido para o futuro, o futuro cidad√£o, a atua√ß√£o futura‚ÄĚ. Circe pontuou que o livro did√°tico varia quanto ao tema, o problema que se prop√Ķe a resolver, as expectativas e o g√™nero: se √© um resumo, se est√° estruturado em perguntas e respostas, se h√° muitas ilustra√ß√Ķes, e por a√≠ vai.

Mirian Warde, pesquisadora da UNIFESP, ressaltou a import√Ęncia de analisar o livro did√°tico como uma s√≠ntese de rela√ß√Ķes sociais, e n√£o de forma isolada. ‚ÄúEssa perspectiva hist√≥ria nos permite identificar uma virada do livro did√°tico com a produ√ß√£o de Miss Arnold nos EUA em fins do s√©culo XIX, que adota o m√©todo anal√≠tico e expressa a ascens√£o das mulheres no mercado editorial como autoras exclusivas de livros did√°ticos‚ÄĚ, afirma.

A import√Ęncia do acervo foi retomada por Eliane Peres, da Universidade Federal de Pelotas. O grupo de pesquisa Hist√≥ria da Alfabetiza√ß√£o, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares, do qual √© coordenadora, constituiu um acervo de livros did√°ticos editados entre 1940 e 2012 no Rio Grande do Sul. Em uma s√≠ntese da discuss√£o, Eliane resume: ‚Äú√Č claro que √© poss√≠vel conceituar livro did√°tico. Entretanto, o conceito n√£o d√° conta de todo o campo de materiais editados. O que √© um livro que vem com um cartaz, ou publica√ß√Ķes com s√≠labas para destacar‚ÄĚ?