Homenagem a Magda Soares


     

Institucional ‚ÄĘ Quinta-feira, 30 de Abril de 2015, 18:14:00

Querida Magda,

Estamos muito felizes por mais um reconhecimento pelo seu trabalho e pelo significado desse novo prêmio para a área de Ciências Humanas. Você nos ensina que vale a pena, apesar das dificuldades, acreditar que é possível construir uma carreira pautada pelos ideais universitários de união entre pesquisa, ensino e extensão.

Seu trabalho acad√™mico e sua inser√ß√£o em v√°rios projetos da universidade e outras inst√Ęncias da educa√ß√£o brasileira evidenciam que precisamos nos valer de conhecimento s√≥lido das teorias, mas que n√£o podemos nos furtar de nos posicionar em rela√ß√£o √† realidade, transformando-a atrav√©s de a√ß√Ķes concretas. Como voc√™ nos ensina em seu memorial, n√£o podemos nos esconder em an√°lises ideol√≥gicas e acad√™micas e recusar os enfrentamentos que nos s√£o postos e que nos levam a fazer op√ß√Ķes comprometidas com a mudan√ßa.

No campo te√≥rico, voc√™ inaugurou uma reflex√£o que coloca a alfabetiza√ß√£o como pr√°tica cultural e social e como campo de pesquisa multifacetado, o que permite compreender desigualdades e buscar interven√ß√Ķes pedag√≥gicas que v√£o al√©m de ocasionais alternativas metodol√≥gicas. Voc√™ vem nos mostrando que n√£o h√° perspectiva pedag√≥gica isolada se n√£o se dialoga com os determinantes , se n√£o se compreende a natureza social do objeto de ensino, sempre para se achar caminhos para interven√ß√Ķes poss√≠veis. O estatuto epistemol√≥gico da alfabetiza√ß√£o e seu refor√ßo como um campo pr√≥prio deve a voc√™ essa posi√ß√£o.

Seus estudos no campo da linguagem, e mais especificamente na alfabetiza√ß√£o, ultrapassam v√°rias √°reas de conhecimento. Suas publica√ß√Ķes, que tratam da rela√ß√£o entre linguagem e sociedade, mostram que n√£o podemos perder de vista as desigualdades: elas permanecem, e, por isso, devemos buscar exercer coerentemente pr√°ticas de uso e de ensino da linguagem que sejam libertadoras.

Agradecemos pelas li√ß√Ķes dadas em nossa forma√ß√£o como pesquisadores, pelo modo como nos formou/forma para o trabalho coletivo, para autonomia intelectual. O Ceale busca os ideais da vida universit√°ria, aprendidos e realizados junto com voc√™!

Admiramos o modo como, na aposentadoria e livre de algumas amarras acadêmicas, continua acalentando sonhos de mudança ao trabalhar com professores e crianças em seu processo de alfabetização. A característica de ter tanto conhecimento e se espantar, humildemente, com o limite de nossos conhecimentos para a alteração da realidade é seu maior legado. Precisamos de humildade epistemológica, de nos surpreender sempre ao descobrir saberes que não possuíamos, de aprender com os saberes das professoras alfabetizadoras e das crianças. Isso ajuda a nos encantar novamente nos projetos ao seu lado, sempre desconfiando dos nossos supostos poderes de conhecimento.

Sabemos que, pela sua humildade e sabedoria, não aprecia muito as honrarias. Por isso, em uma posição generosa, divide o prêmio com todos aqueles que acreditam que é possível trabalhar pela equidade, tendo a linguagem como modo de transformação social.

O reconhecimento do Minist√©rio da Ci√™ncia, Tecnologia e Inova√ß√£o/CNPq atesta e valoriza as contribui√ß√Ķes de uma carreira que precisa, mais uma vez, ser reconhecida, e n√≥s, do Ceale, agradecemos o seu exemplo, buscando a coer√™ncia de sua trajet√≥ria e contando com sua presen√ßa inspiradora sempre!¬†

Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Faculdade de Educação da UFMG