Por uma educação integrada à comunidade

Experi√™ncia do Projeto Burareiro de Rond√īnia p√Ķe em discuss√£o os desafios da educa√ß√£o integral


     

Acontece ‚ÄĘ Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013, 14:58:00

‚Äú√Č preciso perceber que quatro horas √© pouco para oferecer uma forma√ß√£o multidisciplinar e criadora. Por isso, educa√ß√£o integral n√£o pode ser encarada apenas como tempo extra na escola para tirar a crian√ßa de influ√™ncias ruins da rua‚ÄĚ. Esse foi o tom da apresenta√ß√£o de Lara Cristina Cioffi, que relatou a experi√™ncia da educa√ß√£o integral no munic√≠pio de Ariquemes, RO, aos participantes do Semin√°rio Teias da Cidadania. A professora e pesquisadora rondoniense apresentou o projeto Burareiro, primeira experi√™ncia de educa√ß√£o integral do estado, que foi implantado em 2005 e hoje atende a cerca de 2 mil alunos do munic√≠pio.

O Projeto Burareiro foi criado por um grupo de pesquisa da Universidade Federal de Rond√īnia e implantado pela prefeitura. As atividades s√£o divididas em tr√™s eixos: os estudos orientados (refor√ßo escolar), artes e cultura e atividades esportivas e motoras. H√° ainda atividades complementares como: educa√ß√£o ambiental, horta e sa√ļde. O aluno escolhe uma por eixo. Capoeira, fanfarra e m√ļsica s√£o os mais procurados.

Mais Educação

Os recursos e o acompanhamento eram realizados a nível local até 2009, quando o projeto ingressa no Programa Mais Educação, do Governo Federal. Mesmo assim, o projeto Burareiro guarda importantes diferenças do programa do Ministério da Educação.

Os alunos do projeto Burareiro ficam por dez horas na escola, enquanto o Programa Mais Educa√ß√£o prev√™ sete horas de atividades. Lara ressalta ainda outras diferen√ßas: ‚ÄúEnquanto no programa do MEC, os monitores s√£o volunt√°rios, os nossos s√£o remunerados. Assim evitamos a alta rotatividade de profissionais que gera descontinuidade nas atividades‚ÄĚ.¬† Al√©m disso, o projeto Burareiro oferece em m√©dia 22 atividades por escola. ‚ÄúA m√©dia do Mais Educa√ß√£o √© de seis atividades‚ÄĚ, aponta.

O projeto de Ariquemes se baseia em quatro princ√≠pios: a politecnia; a amplia√ß√£o do tempo, espa√ßo e oportunidade; a escola como eixo integrador da comunidade e constru√ß√£o de projeto pedag√≥gico a partir de um conselho gestor multidisciplinar. ‚ÄúTrabalhamos com a ideia de que, se a escola absorve tantas demandas sociais e tanta responsabilidade, ent√£o vamos assumir isso e fazer com qualidade‚ÄĚ, afirma Lara.

Desafios

A integra√ß√£o dos curr√≠culos e a forma√ß√£o dos professores s√£o quest√Ķes chave que precisam ser encaradas na educa√ß√£o integral ‚ÄúComo queremos que o aluno seja multidisciplinar com professores especialistas?‚ÄĚ questiona Lara. A solu√ß√£o desses problemas implica em uma maior dedica√ß√£o dos professores e valoriza√ß√£o profissional, j√° que √© comum professores trabalharem em tr√™s escolas simultaneamente por conta dos baixos sal√°rios.

Um outro problema √© a garantia de recursos p√ļblicos para a educa√ß√£o integral, tendo em vista que muitos projetos perdem continuidade com as mudan√ßas eleitorais dos prefeitos. Lara acredita que √© preciso uma maior responsabiliza√ß√£o do Governo Federal e dos estados, com garantia de infra-estrutura para as atividades e condi√ß√Ķes para que as crian√ßas utilizem tamb√©m os espa√ßos p√ļblicos da cidade para as aulas, uma proposta da educa√ß√£o integral.

Al√©m disso, √© preciso assegurar a gest√£o democr√°tica nas escolas, com a participa√ß√£o da comunidade. ‚ÄúSe a crian√ßa fica na escola por dez horas, √© preciso ouvir e dialogar com a fam√≠lia. O que acontece √© que muitas vezes a comunidade n√£o √© ouvida e depois ficamos nos queixando de que ela n√£o participa‚ÄĚ, aponta a pesquisadora. Integrar o conhecimento da escola com as tradi√ß√Ķes da comunidade tamb√©m deve ser o objetivo de uma gest√£o democr√°tica.