Dicionário de Alfabetização: Multilinguismo

Edição 50 do Letra A


     

Letra A ‚ÄĘ Sexta-feira, 13 de Julho de 2018, 13:09:00

 
Por Maria Gorete Neto ‚Äď Professora da Faculdade de Educa√ß√£o da UFMG e pesquisadora do Ceale
 
Nos √ļltimos trinta anos, a Lingu√≠stica Aplicada e a Sociolingu√≠stica v√™m questionando a no√ß√£o de multilinguismo. Inicialmente, multil√≠ngue seria o sujeito com o dom√≠nio pleno de v√°rias l√≠nguas, sem a interfer√™ncia da l√≠ngua materna. Essa concep√ß√£o apoia-se no pressuposto essencialista de l√≠ngua como sistema estruturado, fixo e abstrato. A globaliza√ß√£o, o desenvolvimento do p√≥s-modernismo e do p√≥s-estruturalismo ensejam uma nova compreens√£o de ‚Äėl√≠ngua‚Äô como recurso semi√≥tico multifacetado, fluido, criado e recriado nas pr√°ticas comunicativas das quais os falantes tomam parte. Assim, multilinguismo n√£o se refere ao uso harm√īnico e homog√™neo de v√°rias l√≠nguas e nem o falante funciona como se tivesse v√°rios monol√≠ngues dentro dele.
 
Trata-se de fen√īmeno complexo, din√Ęmico, poroso que envolve m√ļltiplas pr√°ticas discursivas, em diferentes modalidades, que o multil√≠ngue mobiliza para construir significados. Nesses usos que faz das l√≠nguas, o falante atribui sentidos v√°rios a seus enunciados, constr√≥i e remodela identidades. Sob esse ponto de vista, o multil√≠ngue possui um repert√≥rio lingu√≠stico do qual seleciona as caracter√≠sticas mais estrat√©gicas para uma comunica√ß√£o efetiva em determinado contexto. Essas estrat√©gias podem ser, por exemplo, utilizar empr√©stimos lingu√≠sticos, misturar as l√≠nguas ou alternar de uma l√≠ngua para outra. Em contextos de ensino, multilinguismo assim compreendido permite romper com a ideia de sujeito multil√≠ngue ideal e de l√≠ngua leg√≠tima, correta ou apropriada.