Magda Soares responde


     

Letra A ‚ÄĘ Ter√ßa-feira, 22 de Dezembro de 2015, 15:37:00

Quando alfabetizamos, no início do processo, devemos apresentar o nome das letras ou o som das letras, ou mediar para que as crianças, no uso, descubram o som e o nome das letras ?

Viviane Beckert Spiess - E. M. Dr. Amadeu da Luz - 3¬ļ ano

Pomerode ‚Äď SC

 

Minha maior dificuldade é fazer com que o aluno identifique a letra pelo nome e entenda que, juntando a outras, terá um outro som, e assim forma uma palavra.

Janece Godinho Soares ‚Äď E. E. Vale do Guapor√© - 2¬ļ ano

Pontes e Lacerda ‚Äď MT

 

No in√≠cio do processo de alfabetiza√ß√£o, o alfabetizador n√£o deve se centralizar na letra nem no som da letra. Por qu√™? Sobretudo porque a letra corresponde a um fonema, e os fonemas linguisticamente n√£o s√£o pronunci√°veis. A √ļnica exce√ß√£o s√£o as vogais, em que o nome da letra corresponde ao fonema que ela representa, embora uma letra vogal possa corresponder a mais de um fonema: ¬†o ‚Äėa‚Äô representa o /a/ [como em ‚Äėabrir‚Äô], mas tamb√©m representa o /√£/ [como em ‚Äėanjo‚Äô]; o ‚Äėo‚Äô, que representa a vogal fechada, como em olhar, a vogal aberta, como em √≥dio, a vogal nasal, como em on√ßa; o mesmo ocorre com as demais vogais. Fala-se muito que as vogais s√£o cinco e na verdade elas s√£o doze.

Ent√£o, n√£o se trata de uma escolha entre representar o nome da letra ou o som da letra, porque n√£o √© poss√≠vel pronunciar o som das letras, das consoantes. Voc√™ at√© pode apresentar o nome das letras, e isso costuma ajudar, porque uma boa parte das letras do nosso alfabeto tem um nome em que est√° presente o fonema que ela representa. Por exemplo, o nome da letra ‚Äėp‚Äô √© uma s√≠laba [p√™], que come√ßa com o fonema que essa letra representa. Em outras letras, o fonema a que a letra corresponde aparece no meio do nome. Por exemplo, na letra ‚Äėm‚Äô, que tem o nome ‚Äėeme‚Äô, que se pronuncia ¬†‚Äėemi‚Äô, o fonema /m/ est√° no meio do nome da letra. Tanto √© assim que √© frequente, por exemplo, a crian√ßa transformar uma letra numa s√≠laba: ao escrever, por exemplo, ‚Äėpeteca‚Äô, ela coloca apenas o ‚Äėp‚Äô representando a s√≠laba ‚Äėpe‚Äô. Isso mostra que o nome da letra ajuda a crian√ßa a perceber o fonema que ela representa. Mas o que √© fundamental √© sempre trabalhar a letra na palavra, ou na s√≠laba, e n√£o a letra isoladamente representando um som, porque n√£o √© poss√≠vel pronunciar o som da letra, o fonema a que ela corresponde. Assim, n√£o se trata de apresentar o nome da letra ou o som da letra. √Č um processo integrado: letras, sons das letras acompanhando o desenvolvimento da crian√ßa nas etapas psicogen√©ticas. A aprendizagem do sistema alfab√©tico se d√° pelo desenvolvimento simult√Ęneo da conceitualiza√ß√£o da escrita (as fases psicogn√©ticas), o conhecimento das letras e a identifica√ß√£o dos fonemas a que as letras correspondem.

 

Trabalhar consci√™ncia fonol√≥gica √© focar o som da letra ou da s√≠laba? √Č importante trabalhar rima e alitera√ß√£o? Por qu√™?

Maria Jos√© Dias - E. M. Jos√© Brasil Dias¬† - 1¬ļ ano

Nova Lima ‚Äď MG

Tenho d√ļvida em rela√ß√£o ao que enfatizar primeiro, se o som das letras ou seu formato. A crian√ßa primeiro formula suas hip√≥teses com os c√≥digos ou cria uma consci√™ncia fonol√≥gica?

Rejane Antunes Monteiro ‚Äď C. E. F√©lix da Cunha - 1¬ļ ano

Pelotas ‚Äď RS

 

Logo que nasce, a crian√ßa p√Ķe o foco sobretudo nos sons das palavras que as pessoas falam em volta dela. Tanto que come√ßa a repeti-los, em geral os mais f√°ceis, que s√£o os bilabiais [como em ‚Äėp√°-p√°-p√°‚Äô e ‚Äėm√£-m√£-m√£‚Äô]. √Ä medida que vai dando sentido a esses sons, a crian√ßa vai se desligando deles e passando a se fixar no significado. O que a gente precisa fazer na alfabetiza√ß√£o √© levar a crian√ßa a voltar a prestar aten√ß√£o no som das palavras, pois a escrita alfab√©tica representa o som das palavras, n√£o o significado delas. Por isso, √© importante desenvolver, desde a Educa√ß√£o Infantil, a consci√™ncia fonol√≥gica. Por exemplo, para que se trabalha rima? Se a professora trabalha bem uma parlenda em que a rima est√° presente, ela chama a aten√ß√£o para o final igual: "Capelinha de mel√£o /√Č de S√£o Jo√£o". A crian√ßa vai percebendo sons iguais, coloca sua aten√ß√£o no som da parlenda, n√£o s√≥ em seu significado. A alitera√ß√£o, quando se focalizam palavras que come√ßam com a mesma s√≠laba ou o mesmo fonema, que √© o tipo de alitera√ß√£o mais f√°cil para a crian√ßa em fase de alfabetiza√ß√£o, o objetivo √© tamb√©m chamar a aten√ß√£o para sons iguais, independentemente do significado das palavras; por exemplo: ‚Äúvamos encontrar palavras que come√ßam igual a ‚Äėma√ß√£‚Äô, ‚Äėma-√ß√£‚Äô, que comece com ‚Äėma‚Äô. Igual a meu nome, Ma-gda. Quem me fala uma palavra que come√ßa com ‚Äėma‚Äô?‚ÄĚ E as respostas costumam ser: pera, laranja, abacaxi. Porque est√£o pensando na fruta ma√ß√£, o foco est√° no campo sem√Ęntico da palavra, frutas. Essa passagem do foco no significado para o foco no som da palavra √© um dos aspectos do desenvolvimento da consci√™ncia fonol√≥gica fundamental para a alfabetiza√ß√£o: levar a crian√ßa a perceber os sons das palavras prepara-a para compreender que registra os sons das palavras, quando escreve, n√£o o significado delas.

Uma outra dimens√£o da consci√™ncia fonol√≥gica √© a crian√ßa perceber que a palavra pode ser dividida, segmentada, que √© poss√≠vel dividir ‚Äėboneca‚Äô em ‚Äėbo-ne-ca‚Äô, ‚Äėmesa‚Äô em ‚Äėme-sa‚Äô. Quando percebe essa possibilidade de segmenta√ß√£o, e p√Ķe o foco no som das s√≠labas, e n√£o no significado da palavra, √© que a crian√ßa chega √† fase sil√°bica, e √© a s√≠laba que vai permitir que ela chegue ao fonema, confrontando s√≠labas em que apenas uma letra ‚Äď um fonema ‚Äď √© diferente, porque s√≥ se chega ao fonema pela oposi√ß√£o. Quando a crian√ßa op√Ķe ‚Äėmar‚Äô, com ‚Äėpar‚Äô, com ‚Äėlar‚Äô, vai ter possibilidade de identificar, pelo confronto, os fonemas representados pelas letras M, P, L, e observa que o sentido da palavra muda porque mudou o fonema inicial. Quando se fala em consci√™ncia fonol√≥gica,¬†se est√° falando em um conjunto que envolve: a consci√™ncia do som da palavra, de partes iguais das palavras (rima e alitera√ß√£o), da segmenta√ß√£o da palavra em partes, de consci√™ncia sil√°bica e finalmente de consci√™ncia fon√™mica. √Č um processo de desenvolvimento da crian√ßa que ocorre conjugando a aprendizagem das letras com a correspond√™ncia delas a fonemas, o que depende do desenvolvimento da consci√™ncia fonol√≥gica em seus v√°rios n√≠veis.¬†

CONTINUE LENDO

Magda Soares responde - parte 1

Magda Soares responde - parte 3

Magda Soares responde - parte 4

Magda Soares responde - parte 5