Pol√≠ticas p√ļblicas de leitura liter√°ria em discuss√£o

Quarto encontro do Leituras em Conex√£o gerou debate intenso na Escola Municipal Professora Eleonora Pieruccetti


     

Acontece ‚ÄĘ S√°bado, 12 de Maio de 2018, 15:18:00

 

Hoje ocorreu o quarto encontro do projeto ‚ÄúLeituras em Conex√£o‚ÄĚ, parceria entre a Secretaria Municipal de Educa√ß√£o (SMED) de Belo Horizonte e o Ceale. O projeto consiste em dez encontros, um por m√™s, com nove turmas de professores da rede municipal da capital mineira ‚Äď uma turma por regional da cidade. O objetivo √© formar articuladores de leituras nas escolas. Acompanhamos neste s√°bado o encontro da turma da regional Nordeste, que se re√ļne na Escola Municipal Professora Eleonora Pieruccetti.

O professor da Faculdade de Educa√ß√£o (FaE) da UFMG Carlos Augusto Novais ‚Äď que substituiu o formador que come√ßou com a turma, Andr√© Magri de Melo ‚Äď, um dos formadores do curso, come√ßou o dia lendo poemas, pr√°tica habitual do in√≠cio de cada encontro. Escolheu tr√™s poemas de Paulo Leminski (ou√ßa aqui). A seguir, come√ßou a apresenta√ß√£o sobre o assunto central do dia, as pol√≠ticas p√ļblicas de leitura liter√°ria, focando no Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), do MEC, e nos acervos liter√°rios do Kit Escolar, da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

V√°rios desafios

Partindo da informa√ß√£o de que o PNBE foi ‚Äúdescontinuado‚ÄĚ pelo MEC ‚Äď o governo est√° desde 2014 sem comprar livros de literatura ‚Äď, a discuss√£o come√ßou a encaminhar para as dificuldades em estabelecer di√°logo entre a universidade, pol√≠ticas p√ļblicas e as escolas. O professor Carlos defendeu que os ‚Äúdois saberes‚ÄĚ, o da universidade e o da escola, ‚Äút√™m que conversar‚ÄĚ, e que as pol√≠ticas p√ļblicas partem desses desafios de di√°logo, mas n√£o h√° garantia de que os atendem. Uma das professoras cursistas ressaltou tamb√©m que dentro das pr√≥prias escolas √© dif√≠cil fazer articula√ß√Ķes, j√° que h√° professores que n√£o se envolvem.

Logo ap√≥s, o professor Carlos fez uma exposi√ß√£o sobre os elementos necess√°rios para garantir a democratiza√ß√£o da leitura, que s√£o: garantir acesso efetivo, espa√ßos liter√°rios e mediadores qualificados. No entanto, o formador advertiu para os obst√°culos para isso, sendo o primeiro de ordem estrutural e econ√īmica. Carlos tamb√©m atentou para a import√Ęncia de entender a pol√≠tica p√ļblica como um ‚Äúmodelo de sociedade‚ÄĚ, j√° que ela revela a proposta de Estado, por meio de seus governos, por tr√°s de seus gestos. Ele exemplificou comparando o PNBE com a nova proposta do governo, o PNLD liter√°rio.

A partir disso, foram levantadas ressalvas pelo formador e pelos professores cursistas sobre a efetividade das pol√≠ticas p√ļblicas, o que levou a turma a discutir que tamb√©m √© necess√°rio se atentar para o universo do aluno, ampliando dessa forma o olhar sobre literatura ‚Äď assunto que foi discutido no terceiro encontro ‚Äď, pois os professores tamb√©m precisam atender aos interesses dos alunos. O professor Carlos citou a m√ļsica como exemplo do que √© muito forte na realidade dos alunos.

Em seguida, foi discutida a distribuição de livros pela SMED/BH através do Kit Escolar para os alunos, que começou em 2003. Houve uma discussão intensa sobre o aproveitamento dos livros e dos outros materiais distribuídos, com professoras e professores exemplificando que muitos livros são jogados fora ou vendidos. Para alguns professores, deveria receber o kit apenas o aluno que precisa, para outros professores deve haver distribuição para todos.

Para encerrar o primeiro período do encontro, o professor Carlos falou sobre os desafios das políticas e dos programas. Entre eles estão a falta de conhecimento sobre os programas, a pouca articulação entre o MEC e as redes municipais de ensino, criar estímulos aos profissionais que atuam em bibliotecas, integrar a biblioteca e o corpo docente e a formação de mediadores de leitura.

Críticas ao "PNLD Literário"

Ap√≥s o lanche, o professor Carlos discutiu os problemas da proposta do ‚ÄúPNLD liter√°rio 2018‚ÄĚ, que substituir√° o PNBE. Na vis√£o dos formadores do curso Leituras em Conex√£o, a atual pol√≠tica de distribui√ß√£o de livros liter√°rios do MEC causar√° uma ‚Äúdidatiza√ß√£o‚ÄĚ da literatura.

O professor leu uma nota de rep√ļdio ao PNLD liter√°rio, assinada por v√°rios professores e grupos da FaE/UFMG que argumenta que ‚Äúo acesso das crian√ßas brasileiras ao livro, na escola, deve contribuir para ampliar suas experi√™ncias √©ticas, est√©ticas e pol√≠ticas como determinam as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educa√ß√£o B√°sica. Entretanto, o referido Edital, al√©m de estabelecer conte√ļdos, cerceia a forma e as pr√°ticas de leitura, pois especifica temas por faixa et√°ria, determina tamanhos e formatos dos livros e inclui manuais did√°ticos de uso das obras na escola.‚ÄĚ

Confira o edital do PNLD literário 2018 aqui.

Confira a nota de rep√ļdio aqui.

Ap√≥s a discuss√£o sobre o programa do governo, foram discutidos os elementos propostos pelo curso para os professores cursistas seguirem como modelo, para formalizarem suas a√ß√Ķes e projetos desenvolvidos em suas escolas. O objetivo do Leituras em Conex√£o √©, al√©m de propor programas, se necess√°rio, principalmente consolidar os j√° existentes nas escolas de Belo Horizonte.

 

O projeto

A proposta do Leituras em Conex√£o: Forma√ß√£o de articuladores de leitura das Escolas Municipais de Belo Horizonte¬†surgiu a partir da percep√ß√£o da necessidade de um melhor preparo dos professores para trabalharem com os livros dispon√≠veis nas bibliotecas das escolas da rede p√ļblica. Com isso, a inten√ß√£o √© apoiar pol√≠ticas p√ļblicas de incentivo √† leitura, levando ao conhecimento dos educadores os projetos na literatura que est√£o em vigor e tudo o que o governo oferece em termos de material de apoio para o ensino liter√°rio, como as bibliotecas e acervos de livros.

O curso pretende abordar o planejamento de a√ß√Ķes para incentivar a leitura nas bibliotecas escolares, o melhor aproveitamento dos acervos liter√°rios, al√©m de oficinas de leitura, abordando fundamenta√ß√£o te√≥rica e a pr√°tica tamb√©m. Ao final do curso, os projetos desenvolvidos ser√£o expostos em local p√ļblico e compartilhados em redes.

 

Jogo R√°pido

Algumas das trocas realizadas entre os professores no encontro. 

 

Uma frase:

‚ÄúLiteratura n√£o trabalha com conceito, trabalha com expressividade‚ÄĚ (dita pelo professor Carlos)

 

Uma proposta de atividade:

√Ālbum de figurinhas (as figurinhas s√£o os livros j√° lidos)

 

Uma canção:

A flor e o espinho ‚Äď Nelson Cavaquinho

 

Leia mais

Primeiro encontro do Leituras em Conex√£o

Terceiro encontro do Leituras em Conex√£o

 


Galeria de Fotos: Biblioteca em detalhes