A PNA contempla a realidade da alfabetização no Brasil? | parte 4


     

Letra A ‚ÄĘ Sexta-feira, 21 de Agosto de 2020, 16:48:00

 
Protagonismo e valorização dos professores
 
Da publica√ß√£o da proposta da PNA para c√°, o MEC criou os programas ‚ÄúTempo de aprender‚ÄĚ e o ‚ÄúConta pra mim‚ÄĚ. O ‚ÄúTempo de aprender‚ÄĚ pretende ‚Äúenfrentar as principais causas das defici√™ncias da alfabetiza√ß√£o no pa√≠s‚ÄĚ a partir de quatro eixos: forma√ß√£o continuada, apoio pedag√≥gico, aprimoramento das avalia√ß√Ķes e valoriza√ß√£o dos profissionais. O ‚ÄúConta pra mim‚ÄĚ tem o objetivo de estimular pr√°ticas de literacia familiar, que √©, segundo o MEC, ‚Äúo conjunto de pr√°ticas e experi√™ncias relacionadas com a linguagem oral, a leitura e a escrita, que as crian√ßas vivenciam com seus pais ou respons√°veis.‚ÄĚ O MEC explicou nas cerim√īnias de lan√ßamento dos programas que ambos s√£o baseados na PNA.
 
As propostas de forma√ß√£o continuada do ‚ÄúTempo de aprender‚ÄĚ s√£o um curso sobre psicologia cognitiva, forma√ß√£o em gest√£o de educa√ß√£o para gestores e interc√Ęmbio para professores selecionados em institui√ß√Ķes de Portugal. No eixo de apoio pedag√≥gico, o programa criar√° um sistema online que disponibilizar√° materiais pedag√≥gicos e permitir√° compartilhamento de atividades, oferecer√° recursos financeiros √†s redes de educa√ß√£o para apoiar a atua√ß√£o dos assistentes de alfabetiza√ß√£o e custear despesas das escolas e vai reformular o Programa Nacional do Livro Did√°tico (PNLD) para adequ√°-lo ‚Äú√†s evid√™ncias das ci√™ncias cognitivas.‚ÄĚ Quanto √† valoriza√ß√£o dos professores, ser√° criado um pr√™mio federal para profissionais da educa√ß√£o baseado em desempenho.
 
Para a professora M√°rcia, a PNA ‚Äúcontempla, como propostas anteriores, apenas solu√ß√Ķes pautadas mais na teoria que distam da realidade de muitos discentes das classes menos favorecidas.‚ÄĚ Ela aponta que os fatores que resultam no fracasso escolar s√£o diversos, destacando o ac√ļmulo de fun√ß√Ķes que os professores precisam lidar e limita√ß√Ķes sociais que as fam√≠lias dos alunos apresentam. A professora das redes municipais dos munic√≠pios de Sete Lagoas e Esmeraldas (ambos em Minas Gerais) Elisangela Gon√ßalves de Almeida tamb√©m destaca a rela√ß√£o da fam√≠lia com a escola como um grande desafio atual.¬†
 
‚ÄúA proposta hoje de alfabetizar letrando, valorizar o letramento e a oralidade, colocar a crian√ßa para fazer recontos, essa parte que a gente ‚Äúgasta tempo‚ÄĚ, a fam√≠lia n√£o entende. N√£o entende esse protagonismo da crian√ßa‚ÄĚ. Para Elis√Ęngela, hoje o maior desafio √© fazer a fam√≠lia entender a proposta da escola e ‚Äúcaminhar junto‚ÄĚ, ‚Äúporque a fam√≠lia ainda acredita naquele papel do professor tradicional. Eles acham muito bonito o teatro, a dan√ßa, a m√ļsica, mas n√£o entendem isso dentro de um contexto.‚ÄĚ Elis√Ęngela achou positiva a proposta do ‚ÄúConta pra mim‚ÄĚ por dar destaque a a√ß√Ķes da fam√≠lia. No entanto, afirma que a proposta de leitura em casa e de um ‚Äúcantinho da leitura‚ÄĚ que aparece nos v√≠deos do programa lan√ßados pelo MEC ainda √© ‚Äúum sonho‚ÄĚ.
 
Como pontos negativos da PNA, Elis√Ęngela aponta o foco em apenas uma abordagem e a falta de ‚Äúconversa‚ÄĚ com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A professora destaca outros desafios e problemas que professores da rede p√ļblica t√™m que enfrentar, como a alta rotatividade de equipe. ‚ÄúTem um grupo na escola que est√° presente, no ano que vem chega outro grupo, [no outro ano] outro grupo... O ideal seria que o grupo de alfabetiza√ß√£o fosse formado pelos efetivos, para que se mantivesse uma linha de crescimento. Porque cresceria junto, teria uma proposta clara, poderia fazer essa troca, primeiro, segundo, terceiro ano‚ÄĚ, defende.
 
Para Elis√Ęngela, deveria existir um ‚Äúprofessor alfabetizador‚ÄĚ, com um plano de carreira. ‚ÄúO professor alfabetizador precisaria ser um funcion√°rio efetivo, porque da√≠ teria um plano de carreira, de forma√ß√£o. Se eu tenho 20 professoras numa escola, n√£o √© dif√≠cil voc√™ chegar √† escola e ver que est√° o professor efetivo trabalhando h√° dez anos com alfabetiza√ß√£o. Ent√£o √© pegar esse professor e garantir que ele, de fato, tenha uma forma√ß√£o voltada para o primeiro ano.‚Ä̬†
 
A professora Maria S√≠lvia concorda com a quest√£o do plano de carreira e tamb√©m chama a aten√ß√£o para as condi√ß√Ķes de trabalho dos professores no Brasil, que trabalham em salas de aula cheias e t√™m uma jornada baseada em horas trabalhadas na aula, n√£o contando o trabalho de prepara√ß√£o, que √© realizado em casa e n√£o √© remunerado. ‚ÄúA educa√ß√£o brasileira vai para frente porque os professores est√£o comprometidos, eles t√™m ra√ßa, eles trabalham, eles adoram o que fazem e adoram as crian√ßas. Ent√£o levam trabalho para casa, tiram dinheiro do bolso, entende. Aquela coisa mission√°ria. Mas n√£o era assim que deveria ser.‚ÄĚ
 
 
Dossiê sobre a PNA
 
A Associa√ß√£o Brasileira de Alfabetiza√ß√£o (ABAlf) lan√ßou um n√ļmero especial de sua Revista Brasileira de Alfabetiza√ß√£o (RBA) sobre a Pol√≠tica Nacional de Alfabetiza√ß√£o. Ao todo, s√£o 23 artigos que analisam a PNA sob diversos √Ęngulos.
 
 
 

Continue lendo: