Do espaço acadêmico ao Espaço Letrado

Em Formação | Letra A 54


     

Letra A ‚ÄĘ Sexta-feira, 06 de Agosto de 2021, 15:57:00

 
Por Mariana Eller e Tarsis Matarelle (@espaco.letrado)
 
Somos Mariana e Tarsis, duas amigas no final do curso de Pedagogia da UFMG. Neste ano, criamos um perfil no Instagram chamado Espaço Letrado (@espaco.letrado), com o propósito de compartilhar com nossas colegas em formação e com outras professoras alfabetizadoras dicas de livros, textos, conceitos, jogos e recursos didáticos sobre Alfabetização e Letramento. A criação desse espaço virtual teve como influência as ricas experiências que tivemos durante o curso de Pedagogia. 
 
No iniŐĀcio da graduacŐßaŐÉo, cursamos a disciplina de Alfabetiza√ß√£o e Letramento I e tal foi o nosso interesse na √°rea que nos integramos ao Programa Institucional de Bolsas de Inicia√ß√£o √† Doc√™ncia (PIBID), no subprojeto Pedagogia/Anos Iniciais. O programa oferece aos estudantes das licenciaturas a oportunidade de atuarem na rede p√ļblica e serem, ao mesmo tempo, orientados por professores da gradua√ß√£o. Nosso trabalho foi realizado em uma escola da rede p√ļblica de Belo Horizonte (MG), em duas turmas do Ensino Fundamental, uma de 1¬ļ ano e outra de 3¬ļ ano. Junto ao grupo de estudantes de Pedagogia e sob a coordena√ß√£o da professora Val√©ria Barbosa de Resende, colocamos em pr√°tica atividades reflexivas sobre o sistema de escrita alfab√©tica a partir do uso de g√™neros textuais, como autobiografia, quadrinha, convite e resenha para o 1¬ļ ano e autobiografia e conto para o 3¬ļ ano.¬†
 
Ap√≥s um ano no PIBID, nos engajamos em experi√™ncias distintas, mas ainda relacionadas √† alfabetiza√ß√£o. Mariana come√ßou a atuar como bolsista do projeto de extens√£o da UFMG: ‚ÄúProjeto de Ensino Fundamental para Jovens e Adultos - 1¬ļ Segmento (Proef 1 EJA)‚ÄĚ, ministrando aulas em turmas de alfabetiza√ß√£o, sob a coordena√ß√£o das professoras da FaE/UFMG Francisca Izabel Pereira Maciel e Daniela Freitas Brito Montuani. Tarsis participou como auxiliar em duas pesquisas com crian√ßas de 6 anos, coordenadas pela professora Val√©ria Barbosa de Resende, que utilizou a metodologia do Programa de Escrita Inventada. Ap√≥s essas experi√™ncias na rede p√ļblica, tamb√©m atuamos em escolas da rede particular; Mariana, na etapa de Educa√ß√£o Infantil, e Tarsis, nos anos iniciais do Ensino Fundamental.
 
Participamos de eventos, congressos e simp√≥sios ligados √† alfabetiza√ß√£o, al√©m de cursar disciplinas da Faculdade de Educa√ß√£o (FaE) da √°rea, a saber: ‚ÄúAlfabetiza√ß√£o e Letramento‚ÄĚ I e II, ‚ÄúDificuldades de Ensino e Aprendizagem da Leitura e Escrita‚ÄĚ, ‚ÄúDid√°tica na Educa√ß√£o Infantil‚ÄĚ, ‚ÄúMetodologias da Alfabetiza√ß√£o na Educa√ß√£o de Jovens e Adultos‚ÄĚ e ‚ÄúLaborat√≥rio de Alfabetiza√ß√£o e Letramento: jogos e recursos did√°ticos para apropria√ß√£o do Sistema de Escrita Alfab√©tica‚ÄĚ.
 
Tamb√©m fomos monitoras de disciplinas da gradua√ß√£o; Tarsis, de ‚ÄúAlfabetiza√ß√£o e Letramento I‚ÄĚ, ministrada pela professora Val√©ria Resende; e Mariana, de ‚ÄúLaborat√≥rio de Alfabetiza√ß√£o e Letramento: jogos e recursos did√°ticos para apropria√ß√£o do Sistema de Escrita Alfab√©tica‚ÄĚ, ministrada pela professora Daniela Montuani. Realizamos Pesquisa de Monografia, com a orienta√ß√£o das referidas professoras; Tarsis escreveu sobre ‚ÄúA apropria√ß√£o do princ√≠pio alfab√©tico por crian√ßas de 6 anos: contribui√ß√Ķes do Programa de Escrita Inventada‚ÄĚ, e Mariana, sobre ‚ÄúO uso de jogos de alfabetiza√ß√£o: experi√™ncias de professoras dos primeiros anos do Ensino Fundamental‚ÄĚ.¬†
 
Todas essas experi√™ncias que relatamos s√£o fruto da imers√£o que a faculdade nos proporcionou, relacionada ao ensino, pesquisa e extens√£o na √°rea de Alfabetiza√ß√£o. Valorizamos a import√Ęncia de que o ensino da l√≠ngua escrita seja realizado de forma expl√≠cita e sistem√°tica sem desconsiderar a relev√Ęncia dos processos de letramento. Al√©m disso, defendemos que as crian√ßas, jovens e adultos das escolas p√ļblicas possuem o direito a um processo de alfabetiza√ß√£o de qualidade.¬†¬†
 
Chegamos ao final da graduação com o intenso desejo de nos tornarmos professoras alfabetizadoras. Sabemos que é uma tarefa que exige muita dedicação e empenho, mas estamos dispostas a realizar um trabalho de qualidade, colocando o alfabetizando como o centro do processo de aprendizagem. E somos encantadas com esse processo e compreendemos a complexidade que há no ato de ensinar e aprender a leitura e a escrita. A nossa intenção é continuar ampliando as experiências e conhecimentos sobre a alfabetização. 
 
Consideramos que a alfabetiza√ß√£o √© como uma pedra preciosa com muitas facetas. E √© com essa met√°fora que Magda Soares nos leva a refletir sobre a aprendizagem inicial da l√≠ngua escrita, ao afirmar em seu livro ‚ÄúAlfabetiza√ß√£o: a quest√£o dos m√©todos‚ÄĚ que ‚Äútal como, em uma pedra lapidada, as v√°rias superf√≠cies ‚Äď facetas ‚Äď se somam para compor o todo que √© a pedra, assim tamb√©m os componentes do processo de aprendizagem da l√≠ngua escrita ‚Äď suas facetas ‚Äď se somam para compor o todo que √© o produto desse processo: alfabetiza√ß√£o e letramento‚ÄĚ.
 
Nossa intenção com o Instagram (assim como em nossa prática docente) é continuar desvelando essa pedra preciosa, disseminando e valorizando a concepção da alfabetização na perspectiva do letramento. E convidamos vocês, queridos leitores e colegas de profissão que aqui nos leem, a conhecerem nosso Instagram, fruto de uma formação inicial de qualidade no curso de Pedagogia.